Regresso de Talentos

Situação geral

O mecanismo eficaz de longo prazo para a formação de talentos é um dos cinco mecanismos eficazes de longo prazo criados pelo actual Governo, para melhor concretizar os trabalhos de formação de talentos. Em 2014, foi criada a Comissão de Desenvolvimento de Talentos e o seu trabalho é construir um sistema estável para o desenvolvimento de talentos, permitindo que os residentes desenvolvam, de forma plena, as suas capacidades individuais, tendo principalmente três funções básicas:

  1. Previsão da procura de talentos (Grupo Especializado de Planeamento e Avaliação)
  2. Formação e estímulo de talentos (Grupo Especializado para Formação de Talentos); e
  3. Aproveitamento dos recursos de talentos (Grupo Especializado do Incentivo ao Regresso de Talentos a Macau)

 

Grupo Especializado do Incentivo ao Regresso de Talentos a Macau:

Macau tem, actualmente, cerca de 653 mil habitantes, destes, 182 mil são trabalhadores não residentes. O número de pessoas, que reuniam os requisitos para o “Plano de Comparticipação Pecuniária no Desenvolvimento Económico do ano 2016”, totalizou 680 mil, e um cálculo simples sobre estes dados indicam que, actualmente, são mais de 100 mil os residentes de Macau que vivem no exterior, sendo, ainda, significativo que não são poucos os talentos de Macau que se encontram no exterior. Para além dos que estão a estudar no exterior, muitos dos que residem no estrangeiro são elites e quadros qualificados e especializados, pelo que, para melhor aproveitar os recursos de talentos de Macau, a construção do mecanismo de incentivo ao regresso de talentos a Macau é o principal trabalho do grupo especializado e o desenvolvimento destes trabalhos permitirá uma efectiva continuidade do desenvolvimento da nossa sociedade, conseguindo-se os recursos humanos de alta qualidade que a região necessita e, também, o aumento geral da proporção de talentos em Macau.

 

Trabalhos concretos:

Realização do “Programa da Visita a Macau dos Talentos no Exterior na Comemoração do 15.º Aniversário do Retorno de Macau à Pátria”

Este programa decorreu com sucesso entre 1 e 5 de Fevereiro de 2015. Durante cinco dias, 19 participantes residentes de Macau, que trabalham ou desenvolvem os seus negócios no exterior, visitaram diversos serviços públicos e instituições do ensino superior, assim como, grandes empresas locais e o Centro Histórico de Macau, tendo, ainda, participado numa sessão de intercâmbio com diversos sectores sociais de Macau, o que lhes permitiu conhecerem melhor as oportunidades do futuro desenvolvimento da RAEM.

 

Construção da plataforma de informações sobre o regresso de pessoas de Macau

Para permitir aos residentes, que tencionam regressar a Macau, obterem informações sobre a vida da população e o desenvolvimento do Território, o Governo da RAEM tem, actualmente, em fase de preparação a construção da plataforma de informações on-line, que irá incluir: negócios e empreendedorismo, emprego e procura de trabalho, situação das diversas actividades, garantias sociais, impostos, educação, benefícios de saúde, trânsito e transportes, infra-estruturas e habitação, cultura e recreio, formalidades para o regresso (entrada e saída) a Macau e casos de regresso de talentos, entre outras, na expectativa de que, através da organização desses dados, as pessoas tenham as informações necessárias de uma forma mais simples.

 

“Programa piloto do regresso, a curto prazo, de talentos de Macau no exterior para trabalharem em Macau”

Em 2016, na concepção do “Programa-piloto do regresso, a curto prazo, de talentos de Macau no exterior para trabalharem em Macau”, o grupo especializado reuniu-se com a Universidade de Macau, o Instituto Politécnico de Macau e o Instituto de Formação Turística, com o objectivo de conhecer os procedimentos do recrutamento de pessoal docente e de investigação, bem como para recolher as opiniões dos mesmos, quanto à viabilidade e execução do programa. Tendo em conta que o recrutamento do pessoal docente e de investigação das instituições tem sido efectuado a nível internacional, assim, para o efeito, foi criada, recentemente, uma página electrónica que disponibiliza as informações de recrutamento das instituições do ensino superior de Macau, permitindo, aos residentes, que tencionam regressar, para o exercício da função docente, formação e assessoria, obterem mais informações relacionadas.

 

Realização de estudos sobre o regresso de pessoas de Macau

Para incentivar as pessoas de Macau, que residem no exterior e os jovens que estão a estudar no exterior a trabalharem em Macau, o grupo especializado encomendou, a uma entidade, um estudo sobre o Plano de Acção de Incentivo ao Regresso de Talentos a Macau. O presente estudo, através de contactos com as pessoas que regressaram a Macau, com empresas, entidades e associações, resumiu os factores da motivação e as barreiras de regresso dos residentes de Macau; e através do acompanhamento da tendência dos talentos e do contacto com os mesmos, propõe medidas regulares a curto e médio prazo para promover o regresso de talentos.

 

Plataforma de informações sobre o regresso

>> Redireccionar para a plataforma de informações

 

“Programa da Visita a Macau dos Talentos no Exterior na Comemoração do 15.º Aniversário do Retorno de Macau à Pátria”

Este programa decorreu com sucesso entre 1 e 5 de Fevereiro de 2015. Durante cinco dias, 19 participantes residentes de Macau, que trabalham ou desenvolvem os seus negócios fora de Macau, visitaram diversos serviços públicos e instituições do ensino superior, assim como, grandes empresas locais e o Centro Histórico de Macau, tendo, ainda, participado numa sessão de intercâmbio com diversos sectores sociais de Macau. Os participantes acham que, desde o estabelecimento da Região Administrativa Especial de Macau, houve um desenvolvimento significativo na economia e nas infra-estruturas da cidade, e ficaram a conhecer melhor, com este programa, o planeamento futuro da cidade, e esperam que o desenvolvimento da cidade possa trazer mais oportunidades de trabalho para os talentos de Macau que estão no exterior.

 

Durante a visita, os participantes visitaram diversos serviços públicos e entidades, nomeadamente: o Instituto Cultural, o Conselho para as Indústrias Culturais, o Gabinete de Apoio ao Secretariado Permanente do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa, o Centro de Produtividade e Transferência de Tecnologia de Macau, o Gabinete para o Desenvolvimento de Infra-estruturas, o Conselho para o Desenvolvimento Turístico, o Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau, o Gabinete para as Infra-estruturas de Transportes, os Serviços de Saúde e o Fundo para o Desenvolvimento das Ciências e da Tecnologia de Macau. Através do intercâmbio com os responsáveis dos diversos serviços públicos, os participantes ficaram a conhecer melhor o futuro planeamento da RAEM nas áreas das artes e cultura, medicina, economia e infra-estruturas, bem como a necessidade de talentos para estas áreas, além disso, os participantes visitaram o novo Campus da Universidade de Macau, na Ilha de Hengqin, o Instituto de Formação Turística, o Instituto Politécnico de Macau e outras instituições do ensino superior, para se inteirarem do trabalho de formação de talentos.

 

A Comissão realizou duas palestras nos anfiteatros 1 e 2,, do Edifício Wui Chi, do Instituto Politécnico de Macau, tendo 11 participantes do programa proferido discursos temáticos sobre tecnologia informática, medicina e convenções e exposições, entre outras áreas profissionais relacionadas com o desenvolvimento de Macau, tendo, também, partilhado as suas experiências profissionais. Nas palestras, que atraíram cerca de 100 interessados, houve uma sessão de perguntas e respostas que decorreu num ambiente muito animado.

No jantar de convívio, os participantes do programa reuniram com os membros da Comissão e partilharam as experiências, obtidas através do programa, tendo apresentado opiniões e sugestões valiosas para atrair talentos para regressarem e residirem em Macau. Houve participantes que disseram que através deste programa ficaram mais esclarecidos sobre o objectivo e o rumo do desenvolvimento diversificado do sector produtivo, assim como sobre o planeamento concreto e a linha de rumo da criação de “Um Centro, Uma Plataforma”, e esperam que o desenvolvimento económico e social de Macau possa oferecer mais oportunidades de trabalho para os talentos que estão no exterior.