Planeamento e
Avaliação

Situação geral

O mecanismo eficaz de longo prazo para a formação de talentos é um dos cinco mecanismos eficazes de longo prazo criados pelo actual Governo, para melhor concretizar os trabalhos de formação de talentos. Em 2014, foi criada a Comissão de Desenvolvimento de Talentos e o seu trabalho é construir um sistema estável para o desenvolvimento de talentos, permitindo que os residentes desenvolvam, plenamente, as suas capacidades individuais, tendo principalmente três funções básicas:

 

  1. Previsão da procura de talentos (Grupo Especializado de Planeamento e Avaliação);
  2. Formação e incentivo de talentos (Grupo Especializado para Formação de Talentos); e
  3. Aproveitamento dos recursos de talentos (Grupo Especializado do Incentivo ao Regresso de Talentos a Macau).

 

Grupo de trabalho especializado de planeamento e avaliação:

O grupo é responsável pelo cálculo, de forma científica, sobre o tipo, a classe e a escassez de quadros qualificados em determinadas áreas e sectores num determinado período de tempo, tendo em consideração as actuais situações sociais, económicas, tecnológicas, educacionais e culturais e adopta métodos de investigação e de estudo, sendo responsável pela recolha de informações sobre os requisitos necessários para o desempenho de postos de trabalho, no sentido de criar uma base de dados para a previsão das necessidades de quadros qualificados, facultando, deste modo, fundamentos científicos para a tomada de decisões para o desenvolvimento de talentos. A par disso, através da criação e aperfeiçoamento da base de dados sobre os talentos, da procura de certificações e de dados sobre qualificações profissionais, pretende-se formar, de modo gradual, um mecanismo estável de desenvolvimento de talentos, contribuindo para a promoção dos diversos trabalhos do desenvolvimento de talentos.

 

Tarefas concretas:

  • Criação do “Sistema de Registo de Dados de Talentos”, com o objectivo de recolher diversos dados sobre talentos (género, idade, habilitações, técnicas, experiência e outros.). Em 12 de Dezembro de 2016, foi lançada a nova versão do sistema de “Registo de Informações de Talentos”, que deu continuidade, através de uma nova interface, à recolha de informações sobre talentos, tendo sido aperfeiçoada a estrutura das informações e através da codificação destas, a análise das mesmas tornou-se mais fácil; em 2017, foi introduzido o sistema de pesquisa dinâmica de correios electrónicos em duas fases, Julho e Novembro, o que incrementou a precisão do conteúdo do registo e reforçou a comunicação com os registantes. Paralelamente, de modo a implementar a criação do sistema de informações de talentos, traçada no “Plano Quinquenal de Desenvolvimento da RAEM”, dando, assim, a Comissão de Desenvolvimento de Talentos mais um passo no aperfeiçoamento das funções da base de dados sobre talentos, na promoção contínua desta base de dados e nos trabalhos da análise de dados.
  • Criação, em três fases, da base de dados sobre a escassez de quadros qualificados. No intuito de promover o “Centro Mundial de Turismo e Lazer” e a diversificação adequada da economia, é necessário garantir a reserva suficiente de quadros qualificados relacionados com o sector do turismo e criar oportunidades para a ascensão profissional dos residentes de Macau, quer na promoção vertical, quer na horizontal. Para o efeito, em 2015, a Comissão de Desenvolvimento de Talentos encarregou quatro instituições locais do ensino superior de realizarem um estudo previsional sobre a necessidade de quadros qualificados nos sectores do jogo, comércio a retalho, hotelaria, restauração e convenções e exposições. Em conjugação com o resultado do estudo da primeira fase, foi realizada a análise sobre a mobilidade dos postos de trabalho, sabe-se que há, nos cinco sectores, acima referidos, escassez de quadros de gestão, especializados e técnico-profissionais, havendo, também, um espaço razoável de mobilidade. Para permitir à sociedade saber, de forma plena, a situação da necessidade de quadros qualificados nos sectores económicos fundamentais, a Comissão procedeu, na segunda fase, de acordo com os dados obtidos no estudo, à análise quantitativa, elaborando a “Lista da Procura de Talentos dos Cinco Sectores”. A elaboração desta lista permite facultar fundamentos científicos para a definição das políticas e tarefas para o desenvolvimento de talentos, isto, por um lado, serve de referência para as empresas ao recrutarem trabalhadores e, por outro, contribui para o aumento da objectividade e eficácia dos cursos realizados pelas instituições de formação. Em simultâneo, por forma a promover a criação de diversas equipas de talentos, a Comissão procedeu, na terceira fase, e na base da “lista da procura”, aos trabalhos de aprofundamento, tendo em consideração o nível da necessidade dos postos, a urgência da escassez de talentos e o impacto que os postos têm na sociedade, seleccionou os postos de trabalho, dos referidos cinco sectores, com necessidades urgentes. A Comissão recolheu, ainda, as opiniões dadas pelos representantes desses sectores, quanto à exigência de habilitações para o desempenho dos postos de trabalho em falta no mercado de Macau, bem como à experiência, remuneração, competências especializadas e funcionais e, após a análise, a organização e a compilação dessas informações, lançou o “Índice de Escassez de Talentos nos Sectores Importantes”. Este “Índice” facilita a definição do rumo do desenvolvimento profissional dos residentes de Macau, prestando-lhes informações sobre a ascensão profissional, tanto vertical como horizontal, por outro lado, facilita a definição de políticas, a concepção de projectos para a atracção e formação de talentos, que permitam incrementar o nível de gestão, em geral, dos recursos humanos.
  • Continuação da realização dos estudos e da promoção da investigação. A fim de conhecer, em geral, a situação da necessidade de talentos em Macau e reservar talentos que são, urgentemente, necessários para o desenvolvimento adequado e diversificado da economia, é preciso conhecer, ainda mais, a necessidade de talentos de outros sectores importantes da Como o sector financeiro é considerado o terceiro pilar da economia de Macau, a sua estrutura sectorial representa 5% do Produto Interno Bruto, sendo um factor relevante na promoção da diversificação sectorial; o sector da construção civil tem um peso igualmente relevante na economia de Macau, com um total de trabalhadores ligeiramente inferior ao do sector do jogo, ocupa 4.5% do Produto Interno Bruto. Nestes termos, em 2016, a Comissão de Desenvolvimento de Talentos encarregou instituições do ensino superior para efectuarem dois estudos, um “sobre a procura de talentos no sector financeiro da RAEM” e outro “sobre a procura de talentos no sector da construção”, ao quais foram concluídos em 2017, permitindo facultar fundamentos científicos para a definição de políticas e medidas para o desenvolvimento de talentos nos sectores financeiro e da construção civil. Paralelamente, com o apoio e a orientação da Associação de Bancos de Macau, foram aperfeiçoados os trabalhos da elaboração da “lista de procura de talentos no sector financeiro para 2017-2019” e do “índice de escassez de talentos no sector financeiro para 2017-2019”. No futuro, serão aprofundados os trabalhos de análise sobre a escassez de talentos no sector da construção civil e será, de forma gradual, alargado o conteúdo constante na base de dados sobre a escassez de talentos.
  • Finalização da elaboração do “Plano de Acção Quinquenal do Programa de Formação de Quadros Qualificados a Médio e Longo Prazo em Macau”. Para se articularem com os trabalhos de desenvolvimento de talentos, definidos no “Plano Quinquenal de Desenvolvimento da RAEM”, foram envidados esforços para a implementação das medidas de desenvolvimento de talentos a médio prazo, a Comissão recolheu ideias e opiniões dos seus membros, tendo em conta a avaliação do planeamento de talentos, a formação de talentos e o regresso de talentos, servindo de base para a viabilidade do “Plano”. Posteriormente, a Comissão encarregou uma instituição de investigação de efectuar a análise das ideias e opiniões recolhidas e, esta definiu, preliminarmente, o conteúdo para o “Plano de Acção”, sendo este conteúdo aprovado, em Maio de 2017, na reunião ordinária da Comissão. A Comissão, até Agosto deste ano, consultou as opiniões dos seguintes serviços/órgãos competentes e responsáveis pelas tarefas traçadas no Plano: Fundação de Macau, Fundo para o Desenvolvimento das Ciências e da Tecnologia, Gabinete de Apoio ao Ensino Superior, Direcção dos Serviços de Educação e Juventude, Autoridade Monetária de Macau, Direcção dos Serviços de Economia, Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau, Instituto Cultural, Direcção dos Serviços para os Assuntos Laborais, Direcção dos Serviços de Administração e Função Pública, Universidade de Macau, Instituto Politécnico de Macau, Instituto de Formação Turística, Universidade de Ciências e Tecnologia de Macau e Universidade da Cidade de Macau, tendo, por fim, sido concluída a elaboração do “Plano de Acção Quinquenal do Programa de Formação de Quadros Qualificados a Médio e Longo Prazo em Macau”. O plano de acção prevê 19 estratégias de desenvolvimento e 45 medidas/projectos, que serão executados pela Comissão de Desenvolvimento de Talentos e pelos 15 órgãos/serviços, acima mencionados, para permitir que os trabalhos de desenvolvimento de talentos sejam promovidos de forma ordenada.
  • Continuou a recolha, junto dos serviços competentes, dos dados estatísticos sobre certificações e credenciações e terminou a análise sobre a tendência, realizada em 2015, que recolheu dados durante três anos seguidos, respeitantes ao pessoal dos transportes, transportes marítimos, navegadores de recreio, guardas de segurança, instrutores de condução e outros.